Passar para o Conteúdo Principal Top
C.M. Ílhavo - Voltar ao início
share rss facebook

Zita Leal

Nascida em Peniche, a 24 de Julho de 1938, Zita Leal sempre teve uma postura inconformada perante a sociedade, considerando-se uma garota de nariz empinado, "arrapazada", que dava a merenda a quem quisesse para, de seguida, "esgatanhar" o mesmo se o apanhasse a mal tratar um amigo.
Aos cinco anos de idade veio viver para Aveiro, onde frequentou a Escola Primária da Vera Cruz. Prosseguiu os estudos no Liceu José Estêvão, dedicando grande parte do tempo às "teatradas". O Liceu foi a sua "Escola de Amor ao outro": a visita semanal aos mais carenciados, os berços entregues aos bebés nascidos "quase nas palhinhas", visitas de amizade aos presos, foram acções que levou a cabo na sua juventude, constatando, hoje, que este aprender a solidariedade faz falta nas nossas Escolas.
Em 1958 foi viver para Lisboa onde ingressou no Curso de Educadoras da Mocidade Portuguesa Feminina, adquirindo aí conhecimentos ligados às Artes, à Educação Física, à Ética e à Pedagogia, não se tendo, no entanto, desviado da esperança de viver numa sociedade fraterna, assumindo desde logo os seus ideais comunistas, que ainda hoje mantém.
A enorme aptidão para a Literatura levou Zita Leal a seguir o Curso de Português - Francês na Universidade de Aveiro e, mais tarde, obteve a Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Aberta. Leccionou nas Escolas Preparatórias de Ílhavo, Vagos, Mira, Oliveira de Azeméis, S. João da Madeira, Arcos de Valdevez, Escolas Secundárias n.º 1 e José Estêvão (Aveiro) e, em final de carreira, na EB 2.3 da Gafanha da Nazaré. Dedicou igualmente o seu tempo e saber à Formação Profissional, nomeadamente na Forpescas, com pescadores, peixeiras, manipuladoras fabris, empregadas de escritório, entre outros, partilhando assim 37 anos de vida com alunos de todas as idades.
Aposentada desde 2005, a sua ligação ao Ensino permanece viva: conta histórias, faz poesia com crianças, dramatizações nas Escolas. Nos últimos anos tem visitado semanalmente a EB 1 da Barra e continua a ser frequente vê-la declamar poesia no âmbito da Comemoração do Dia Mundial da Poesia pois pertencia à Associação Rota da Poesia e integra o Grupo Poético de Aveiro, colaborando regularmente nos eventos culturais realizados pelo Grupo.
Dona de um espírito aberto e empreendedor e de uma presença altiloquente, ainda hoje é evidente a paixão que nutre pelo ensino e por todas as crianças às quais reconhece ter tido o prazer de ensinar.
Aos filhos e netos pretende deixar aquele que considera o mais importante legado de todos, manifesto através da seguinte mensagem: “Vale a pena a vida. Espalhem o amor entre todos e serão felizes!"

 

voltar à página anterior