Passar para o Conteúdo Principal Top
C.M. Ílhavo - Voltar ao início
share rss facebook

João de Almeida

João de Almeida nasceu a 2 de junho de 1920, na Vista Alegre, Concelho de Ílhavo.

 

O gosto pelas artes logo lhe correu nas veias revelando, desde cedo, especial aptidão para o teatro, para a música, para o desenho e para a pintura.

 

No teatro desempenhou uma vivência rica, ora como ator, ora como encenador, tendo inclusive colaborado na elaboração de cenários. A sua paixão pela arte de representar nasceu tinha apenas 9 anos por influência da família, especialmente de seu pai e tios, que eram atores. A sua íntima relação com esta arte de palco foi inevitável já que o pai o levava frequentemente a assistir aos ensaios e quando surgiam personagens da sua idade, era imediatamente convidado  a integrar o elenco. Foram várias as peças de teatro onde desempenhou o papel principal e que o marcaram, entre as quais "As Rosas de Nossa Senhora" e "Cama, mesa e roupa  lavada".

 

João de Almeida, defensor das artes, ligou-se também à música, dando o seu contributo na Banda da Vista Alegre. Verdadeiro literato, editou diversos livros dos quais podemos salientar títulos como "Poemas",  "Luz branca do Luar!… Memórias", "Feira dos Treze, da Ermida e do Bispo", "Teatro, "História da Filarmónica", "As Corridas de Touros na Vista Alegre", "Os Bailes nas Eiras", entre outros. Desta forma, deixa um importante legado aos mais novos sobre factos que só na memória dos mais velhos ficaram registados: o modo de vida das pessoas do antigamente, as suas privações, mas também as coisas boas que se fizeram nos tempos da sua juventude.

 

A pintura é outra das paixões deste ilhavense. João Cazaux e Duarte Magalhães foram os seus mestres, dois excelentes pintores, com quem muito aprendeu.

João de Almeida trabalhou durante 54 anos na Fábrica da Vista Alegre, onde executou trabalhos  de grande rigor e qualidade. Mais tarde, já reformado, deixou escorrer para a tela ou para o papel a sua criatividade, inspirado sobretudo na Natureza.

 

Na rosa dos ventos deste ilhavense, o teatro, a música, o desenho e a pintura constituem os principais pontos cardeais da vida de um homem multifacetado que tem na Arte o denominador comum a tudo quanto se entrega, de alma e coração.

 

voltar à página anterior